• Sede Regional 3RE

NOTA DE REPÚDIO



NOTA DE REPÚDIO

Discriminação racial às crianças metodistas

pelo Play Center Family e Shopping Aricanduva

O Ministério Regional Ações Afirmativas para Afrodescendentes (AA-Afro) da Igreja Metodista na Terceira Região Eclesiástica, no exercício de sua vocação e em conformidade com os objetivos pautados em suas Diretrizes Ministeriais, vem por meio desta nota REPUDIAR o tratamento discriminatório e racista por parte dos funcionários do Shopping Aricanduva e do Play Center Family dispensado às crianças e pré-adolescentes que estavam sob a supervisão do nosso irmão em Cristo Gabriel Henrique Rodrigues da Silva, todos pertencentes à Igreja Metodista em Vila Rica, Distrito Leste 2, ocorrido nas dependências do Play Center Family, localizado dentro do Shopping Aricanduva, no dia 27 de fevereiro de 2022, episódio amplamente divulgado em noticiários e mídias sociais.


As atitudes discriminatórias perpetradas em decorrência da cor da pele e da vestimenta simples das crianças por funcionários, equipe de segurança e gerentes do Play Center Family, bem como pela omissão da administração do Shopping Aricanduva que, procurada, isentou-se de prestar qualquer tipo de apoio e solidariedade ante as excessivas, truculentas e desnecessárias abordagens dos seguranças e funcionários, criando ambiente de constrangimento desde a entrada das crianças ao local, e permanecendo com esta conduta de assédio durante a permanência delas nos espaços, culminando com o impedimento de acesso aos brinquedos sob afirmação de que estavam desacompanhadas de responsável e, por uma afirmação caluniosa, de que estavam “batendo carteiras” sem qualquer tipo de prova é reprovável e completamente inadmissível.


O Plano para a Vida e a Missão da Igreja Metodista também traz objetivos para nós metodistas, de forma a promover – como agentes transformadores da nossa sociedade – não apenas a luta contra a injustiça econômica ou social, mas também debater sobre o tema da discriminação racial, da violência institucional contra a população negra, quando nos orienta a discernir neste tempo presente, e assumir os dramas atuais do nosso povo. Neste sentido, desejamos que o caso seja apurado para que esta conduta vil e discriminatória dos colaboradores do Play Center Family e a omissão do Shopping Aricanduva não se repitam com nenhuma outra pessoa. Estamos acompanhando de perto cada passo da apuração deste caso, seja no Inquérito Policial instaurado pela Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi), seja do processo administrativo junto ao PROCON de São Paulo – que já notificou ambas as empresas.


John Wesley, fundador do metodismo, se colocava contra a escravidão e contra as diversas formas de discriminação social em seu tempo. A Igreja Metodista – que é uma das pioneiras no desafio da inclusão social no Brasil –, e os seus documentos enfatizam sua tradição bem como mais de 150 anos de sua missão no país. Denunciamos o pecado do racismo praticado, que pretende reduzir pessoas feitas à imagem e semelhança de Deus, que não faz acepção de pessoas, não aceita nenhuma forma de discriminação, distinção, exclusão, restrição ou preferência baseada na raça, cor, ascendência, origem étnica ou condição social.

A Igreja Metodista no Brasil por meio de seu Programa Nacional para o enfrentamento ao racismo cultural e institucional, aprovado no 19º Concílio Geral da Igreja Metodista, com as características de transversalidade que estão diretamente ligadas à noção de Igreja como corpo, segundo a perspectiva de Paulo na carta de 1 Coríntios 12.12; 25-27, que se um membro sofre, todo o corpo sofre junto, acolhemos as crianças e pré-adolescentes juntamente com o irmão Gabriel Henrique Rodrigues da Silva, suas famílias e a comunidade em Vila Rica – que foi ofendida e desvalorizada com esse ato vil de discriminação –, ressaltando a cada um sua importância para a vida da Igreja Metodista, para a Igreja de Cristo e para o reino de Deus.


Por fim, relembramos que a Carta Pastoral do Colégio Episcopal sobre o Racismo, com o tema: “Abrindo os olhos para ver e o coração para acolher”, é um dos documentos mais importantes produzidos pela Igreja Metodista em sua história recente, buscando despertar a consciência crítica dos membros para a reflexão sobre o tema do racismo e de sua realidade no contexto brasileiro. O Programa Nacional Antirracismo busca tornar a Igreja Metodista em um espaço de inclusão e vivência fraternal cristã entre as diferentes etnias; um ambiente de respeito e de consideração para alcançar um padrão de Igreja que proclame, testemunhe e pratique a justiça e o amor de Deus no que tange às relações entre as diferentes origens étnicas, buscando vivenciar em nossa sociedade as mesmas diretrizes, pois nosso objetivo é reformar a nação, particularmente a Igreja e espalhar a santidade bíblica sobre a terra, pois somos uma comunidade missionária a serviço do povo.


Confiamos que as autoridades vão apurar os fatos e responsabilizar os ofensores, e que estes sejam iluminados pelo Espírito Santo e alcancem o arrependimento sincero, verdadeiro e reparador para a transformação de suas mentes. Neste sentido, conclamamos a toda a Igreja a orar por justiça, mas principalmente por todos os envolvidos e por suas famílias ante aos reflexos deste ato tão cruel, insensível e doloroso praticado contra suas vidas pelos colaboradores do Play Center Family e Shopping Aricanduva.



São Paulo, 11 de março de 2022


Associação da Igreja Metodista da 3ª Região Eclesiástica Marcos Odair de Almeida Santos – Secretário Executivo da AIM


Revmo. Bispo José Carlos Peres Bispo Presidente da 3ª Região Eclesiástica


Ministério Regional AA-Afro - Ações Afirmativas Afrodescendentes Coordenador: Paulo Roberto Lopes de Almeida Junior



Clique aqui e faça o download do documento.

1.724 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo