top of page
  • Foto do escritorBispo Peres

Processo de Nomeações Pastorais 2023 da Terceira Região Eclesiástica

“Discípulos e discípulas nos caminhos da missão anunciam solidariedade e esperança”


Aos/Às Pastores/as e Igrejas Locais


“Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem” – 1 Timóteo 4:16


Do Regimento Regional


SEÇÃO VI: DA REGULAMENTAÇÃO DO PROCESSO DE NOMEAÇÕES PASTORAIS


Art. 57. O Processo de Nomeação Pastoral segue calendário eclesiástico regional com nomeação bienal e, sob a presidência do/a Bispo/a, tem o seu cronograma definido pelo Ministério de Apoio Episcopal – MAE.


Parágrafo Único. Excepcionalmente, em qualquer tempo, usando de suas prerrogativas canônicas o/a Bispo/a promoverá as nomeações que julgar necessárias.


Encaminhamentos


Convoco aos pastores, as pastoras, aos irmãos e irmãs das igrejas locais da Terceira Região Eclesiástica para que orem e jejuem para discernimos qual é a vontade de Deus para as nomeações pastorais.


A expectativa do Bispo e dos/as Superintendes Distritais é que todo o processo seja realizado com lucidez e que as ações expressem fidelidade e coração integro, debaixo do temor ao Senhor (2 Crônicas 19.9), como nos orienta a Palavra de Deus.


Algumas Orientações Acerca do Processo de Nomeações


  1. Os pastores e pastoras que desejam pedir licença para estudar, interesses particulares, pedido de aposentadoria, bem como retorno ao ministério ativo, deverão fazê-lo na forma canônica, no máximo até o dia 20 de setembro de 2022.

  2. Aos que desejarem retorno ao ministério ativo deverão cumprir o disposto no Ato complementar editado pelo Colégio Episcopal, denominado, Regulamento do Período de Licença de Membro Clérigo. A nomeação para quem desejar retornar ao ministério ativo ocorrerá mediante a existência de vagas no quadro pastoral.

  3. Caso algum pastor/a deseje alteração na nomeação pastoral, deverá se manifestar (por escrito) até o dia 20 de setembro de 2022, diretamente ao/à seu/sua superintendente distrital, devendo, obrigatoriamente, anunciar sua decisão à CLAM da igreja onde atualmente pastoreia.

  4. Caso alguma igreja, deseje alteração na nomeação pastoral, deverá se manifestar (por escrito) mediante decisão da CLAM homologada pelo seu concílio local, até o dia 20 de setembro de 2022, diretamente ao/à seu/sua superintendente distrital, devendo, obrigatoriamente, anunciar sua decisão ao/a pastor/a local.

  5. Segundo a orientação da COREAM o orçamento regional não acolherá pedidos de ajuda para complementação de subsídios pastorais e ajuda de aluguéis.

  6. Mudança pastoral ocorrerá exclusivamente de acordo com a necessidade Regional. Entretanto, vale lembrar que o projeto maior é o do Reino de Deus. A nomeação será realizada, sendo que, o/a novo/a bispo/a que assumir o próximo mandato é quem concluirá o processo de nomeações para o ano de 2023.

  7. A efetivação da nomeação pastoral dependerá do cumprimento das exigências canônicas, relativamente aos compromissos previdenciários, sendo que, a COREAM solicitou ao bispo que quem não cumprir a sua obrigação com o INSS não receba nomeação para o ano de 2023, o que será acolhido, respeitando a letra canônica que estabelece a obrigação do recolhimento previdenciário.

  8. Os/As pastores/as deverão encaminhar seus comprovantes de recolhimento ou extrato de recolhimento do INSS ao/à seu/sua superintendente distrital, a partir do mês de competência outubro de 2021 até o mês de competência agosto de 2022 até o dia 20 de setembro de 2022.


São Paulo, 15 de junho de 2022.


José Carlos Peres

Bispo presidente da Igreja Metodista 3RE



2.822 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page