• Sede Regional 3RE

Trabalhando para que todos/as tenham Sombra e Água Fresca!

Tivemos a oportunidade de conversar com os agentes regionais do projeto Sombra e Água Fresca na Terceira Região, pastora Thelma Guimarães e Pr. Alexandre Rufa. Trazemos um pouco dessa conversa para conhecer melhor esse belo projeto da Igreja Metodista.

Mas o que é o projeto Sombra & Água Fresca?


Na linguagem popular, querer “sombra e água fresca” é querer uma vida despreocupada, vida mansa. Mas o projeto Sombra & Água Fresca, da Igreja Metodista ressignificou essa expressão, mudando o sentido de “vida mansa” para “vida abundante em de Cristo Jesus”.

“O Projeto Sombra e Água Fresca (SAF) é uma rede de proteção à criança e ao adolescente, com o intuito de passar os valores do reino de Deus”, nos explica a Pra. Thelma Ferreira Guimarães do Nascimento, agente do SAF na Terceira Região junto com o Pr. Alexandre Ruffa Rodrigues da Silva.


Na página oficial do projeto, no portal da Igreja Metodista, encontramos a definição que o SAF é “uma rede de projetos da Igreja Metodista no Brasil, desenvolvidos pelas Igrejas locais e instituições para atender crianças e adolescentes com idade entre 6 e 14 anos”, e explica que “o nome Sombra e Água Fresca significa espaço para vivência das coisas de Deus, de seu Reino de direitos e de coisas boas: lugar de acolhimento, cidadania e educação integral.


Em todo Brasil existem mais de 60 projetos debaixo do guarda-chuva do SAF, beneficiando cerca de 2,7 mil crianças e adolescentes. Na Terceira Região temos poucas igrejas envolvidas, apenas 5, que são: IM em Jundiapeba (Mogi das Cruzes), IM em Jardim Ipê e IM em Vila Planalto (ambas em São Bernardo do Campo), IM em Santana (São Paulo) e CEREC, um centro educacional em Mairinque, SP.


Como funciona


O Projeto foi organizado para ajudar as igrejas locais a desenvolverem atividades socioeducativas. Geralmente os encontros acontecem no contraturno da escola, visando tirar essas crianças da rua e de situações de vulnerabilidade.


As igrejas são desafiadas a organizar atividades extraescolares, contribuindo para o desenvolvimento físico, intelectual, emocional, espiritual e social. As três principais oficinas do SAF na Terceira Região são Educação Cristã, Acompanhamento Escolar e Esporte e Recreação, mas a finalidade maior é oferecer melhores condições de vida e a possibilidade de desenvolvimento como pessoas e cidadãos.


O SAF normalmente acontece nos espaços das igrejas locais, mas há uma excelente experiência com parcerias com a comunidade, como é o caso do CERIM (Cooperativa de Eletrificação Rural - Itu/Mairinque e Região), uma cooperativa de energia rural que cede o espaço do CEREC, seu centro educacional e recreativo, para o projeto, constando inclusive no seu site oficial.


“O CEREC é um espaço neutro que foi aberto para ter esse trabalho, levado pela AMAS de Campo Belo e acontece toda semana. Tem feito diferença no bairro, uma comunidade carente, e tem sido um diferencial, um desafio e orgulho também”, nos conta o Pr. Alexandre, e completa: “temos uma parceria também com uma escola estadual do bairro, e a escola leve um ônibus de crianças e adolescentes para o projeto para que eles tenham um acompanhamento escolar e também outras oficinas, outras áreas do saber. Nunca tivemos resistência das instituições por ser um trabalho evangélico, muito pelo contrário, tivemos abertura, o próprio local que nos acolhe fica à nossa disposição, um espaço dedicado ao SAF. Temos ali uma média de atendimento de mais ou menos 30 crianças e adolescente. Tem alcançado as pessoas e tem sido suporte para própria igreja, alcançando as famílias”.


Voluntariado


Hoje a maior necessidade do SAF são recursos humanos: você!


O projeto é todo voltado para o voluntariado. “É uma oportunidade riquíssima de se ter uma experiência de servir ao próximo sem esperar recompensa alguma. A recompensa vem de Deus, é o galardão que ele dá, porque a Palavra a gente sabe que não volta vazia e a base de todo o projeto é a Palavra de Deus. Não é a doutrina metodista em si, a base de todo o projeto é a Palavra de Deus que está acima de toda e qualquer denominação” explica a Pra. Thelma. “Nossa mão de obra é voluntária e é importante que os pastores/as deem continuidade aos trabalhos dos pastores/as anteriores”, complementa o Pr. Alexandre.

É uma oportunidade para incluir todos os setores da igreja: juvenis, jovens, homens, mulheres, pastores/as, toda a comunidade em torno do projeto e das três oficinas básicas (Educação Cristã, Acompanhamento Escolar e Esporte e Recreação), mas não se fecham somente nisso, muitas outras áreas podem ser trabalhadas como inclusão digital, cidadania, saúde integral, música (desde a musicalização infantil até um instrumento musical), noções básicas de inglês, espanhol, enfim, uma infinidade de serviços que podem ser prestados para que crianças e adolescentes tenham uma outra visão de mundo, para ampliar seus horizonte.


A Pra. Thelma diz que “o projeto dá a oportunidade para a criança e o adolescente refletir e ajuda muito na escola, porque a gente não trabalha com o reforço escolar, a gente trabalha com o acompanhamento escolar, que é diferente, que por meio do lúdico você consegue trabalhar os conhecimentos de língua-portuguesa, matemática, história, geografia, biologia, sem a criança se sentir forçada a fazer uma prova, uma avaliação, a preocupação de tirar uma boa nota, o ambiente lúdico favorece, ai quando ela chega na escola ela deslancha”.


“Também é possível colaborar por meio de palestras orientativas como: saúde da família, higiênica bucal (se você é um dentista ou um médico), música. A área de música é fundamental: violão, flauta, piano. Um dos seguimentos que mais cresce é a questão da música” completa o Pr. Alexandre.


Como levar o projeto na minha igreja?


Os agentes regionais, fazem a ponte entre as igrejas locais e a Sede Nacional. Cada igreja local tem o direito de ter o SAF, inclusive recebendo o material de educação cristã da Sede Nacional. O projeto envia para cada criança ou adolescente que seja cadastrado na rede o material, uma pastinha com os encontros propostos e diversos temas para serem abordados.


O contato é por meio dos agentes regionais, para tirar dúvidas e dar orientações: “cada igreja que quer ter o projeto terá uma necessidade específica, uma igreja vai precisar de suporte financeiro, outra de computadores para oficina de inclusão digital, essa outra matéria de esporte. A gente vai orientando assim, de acordo com as necessidades” explica o Pr. Alexandre.


Os agentes terminam falando que “o SAF é uma resposta da igreja contra essa cultura de violência e uma proposta de educação para transformação. O SAF é um projeto metodista que está à disposição para toda e qualquer igreja local. O projeto não tem uma estrutura pesada, ele não é difícil de acontecer. Ele só precisa de pessoas apaixonadas por crianças, pessoas apaixonadas pela missão e pelo serviço ao próximo e que creiam que é possível mudar, é possível ter esperança, é possível transformar a realidade”.

Assessoria de Comunicação

Por Rogério Silva


#Metodista3re #IgrejaMetodista #ProjetoSombraEÁguaFresca #SombraEÁguaFresca


Você pode entrar em contato com os agentes regionais no projeto Sombra e Água Fresca pelos e-mails:


Pra. Thelma Ferreira Guimarães do Nascimento

thelma.nascimento@3remetodista.org.br

thelminhanascimento@yahoo.com.br


Pr. Alexandre Ruffa Rodrigues da Silva

alexandre.silva@3remetodista.org.br

alexandre_floripa@hotmail.com


Outras informações:

http://www.projetosombraeaguafresca.org.br

Tel. (11)2813-8600

E-mail: projeto-saf@metodista.org.br


Depoimentos:


“Nós temos esse projeto na área nacional e na 4ª RE ele está é grande, é um projeto já consistente e consolidado e o carro chefe é a música: oficinas de música, através disso um grande grupo já se apresentou até no EUA a convite, levando a música, a fé e a espiritualidade através da música e isso ajuda a alcançar os objetivos com mais facilidade." - Alexandre Ruffa Rodriges da Silva, Vila Conde.
“Quando a gente se lança para servir ao Senhor, a gente não mede esforços. E Deus recompensa a gente assim de modo sobremodo excelente e sobrenatural. Deus tem dado a oportunidade para mim de trabalhar no SAF tanto na igreja local quanto na área regional, e isso pra mim é muito bom, ver as crianças que já passaram pelo projeto. A gente trabalha desde 2013 com o projeto, já vimos crianças entrarem e saírem do projeto, já vimos crianças permanecerem, nós vimos crianças que não eram da igreja irem pra igreja, nós vimos crianças levando a família pra igreja. Mudou completamente a história de vida. Hoje nós vemos o menininho com a irmãzinha, mais o pai e a mãe, na igreja, firmes. Muda completamente a postura da própria igreja quando olha isso tudo.” - Pra. Thelma Guimarães.
"Algumas crianças, quando chegaram no projeto, o comportamento era muito difícil, elas estavam vivendo situações de vulnerabilidade extrema e o projeto auxiliou nesse processo, para que as crianças tivessem também condições de desenvolver resiliência, então hoje a gente vê um outro tipo de comportamento nas crianças. O carinho que elas têm pelos educadores do projeto, elas chegam com respeito, elas sabem que os educadores vão respeitá-las, vão cuidar delas, defende-las, então elas mudam a postura de tratamento com a gente de uma forma assim radical, e isso é muito bom." - Pra. Thelma Guimarães.
"Eu era pequena, porque desde pequena minha irmã me trouxe na igreja metodista e eu me inscrevi no SAF. Eu tinha uns 5 ou 4 anos. Minha irmã começou a ir na igreja com 13 anos e me trouxe pequena, na IM Jundiapeba. Quando pequena, a gente aprendia coisas da bíblia, pintava, brincava. E foi muito importante para mim. Eu digo que valeu muito conhecer o SAF, para aprender a ler a Bíblia, desenvolver amizades, ajudar meu irmão pra ele vir à igreja... foi isso." - Aline Vieira Chaves, 12 anos, membro da IM Jundiapeba.
"Pastora levou os panfletos e mostrou a importância do projeto e como ajudaria nos projetos da igreja. Eu tenho um sonho: que a Igreja Metodista resgate o fator social e educativo. A qualidade da escola pública é de muita decadência e de muita violência e a igreja não está exercendo um papel social e de cidadania que ela poderia estar fazendo com esse projeto. Temos que lutar contra o sucateamento da educação por meio do reforço escolar, do envolvimento com esporte, com artes, com teatro (a gente quer trabalhar o teatro, a gente tem pessoas especializadas dentro da igreja que estão desenvolvendo)." - Lucimar, Telma, Beatriz, Luciana – membros da IM Santana.
102 visualizações
INSCREVA-SE E FIQUE ATUALIZADO!
  • Facebook iConexão
  • Facebook IM3RE
  • Instagram IM3RE
  • Twitter IM3RE
  • YouTube IM3RE
  • SoundCloud IM3RE
  • LinkedIn IM3RE
  • Maps IM3RE

Faça aqui a sua assinatura e as atualizações do informativo online!

© 2018 por Sede Regional da Igreja Metodista 3ªRE | iConexão.

Whatsapp: +55 (11) 9.8346.0020